segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Correria

Há pouco rolou o Festival em Brejo, e dentre os organizadores estávamos eu e o Otto, só fiscalizando e anotando os pontos da galera (de vez em quando dando uma fugida pra escalar uma esportiva aqui outra ali).
Ficamos empolgados com a idéia e marcamos de fazer nossa maratona, pra ver quantos pontos fazíamos seguindo a tabela do campeonato. 
Marcamos pro final de semana passado mas tivemos a triste notícia de que iríamos trabalhar no sábado pela manhã, lembrando que Brejo fica a 200km de Recife, onde moramos. Mas e daí? Adiar pra quê? hehe
Chegamos em Brejo lá pras 13h e fomos pra Serra do Estrago, começando a escalar às 14h terminamos às 18h tendo feito as vias Código Barnabé (4° VIIa 215m), Piolho de Cobra (4° VIIb 235m e Mutuca (5° VI A0 205m).
No domingo a preguiça tomou conta e começamos a escalar só as 10h, o local escolhido foi a Pedra da Bicuda. Começamos pela Escalada ou Morte (5° VIIa A1 90m), duas enfiadas sendo um bem custosa, com furos de cliff e tal, depois entramos na Revolução dos Bichos (7° VIIIc 100m) rapelamos já na base da inominável (VIIIb 30m), na descida fizemos a Césio-137 (VIIIa 15m). Pausa pro lanchinho e toca pra Primeiro dia, porque não tentá-la toda em móvel? =) Lá fomos nós, no lugar do primeiro grampo um camalot 5 e um 2, um de cada lado de uma super laca de uns 3m de altura entalada lá dentro da chaminé, parada em móvel uns 3m abaixo da parada original, a próxima enfiada normalmente são 50m em boas agarras com um grampo no meio, dessa vez ficou 60m com um bloco laçado no meio (toca toca zotto!) paradinha em móvel na base do diedrinho do crux. Deu pra proteger bem um pouco antes do primeiro grampo e em vez de parar no segundo (último da via) toquei direto até a próxima parada, dá muito arrasto mas nada horrível...daí pra cime nunca teve grampo mesmo...kkkk Fica aí a opção pra quem tiver querendo chegar no cume da bicuda, nas famosas pedrinhas empilhadas sem usar nenhum grampo!
Depois dela tinhamos escolhido a Rei das Coxinhas pra arrematar o dia, essa via é a via do speed climb em Brejo! Dago e AP tinham subido em 15min e feito 25min Base-base. Então...porquê não tentar baixar esse tempo?! hehehe. Quase botamos o lanche pra fora mas conseguimos subir em 9min50s, fazendo o tempo bese-base de 17min15s.
Encerramos as atividades às 17h com 3445 pontos, um corda taiada no meio e 200km pela frente, além de várias idéias mirabolantes!
Não deu tempo de tirar fotos...
Até a próxima!

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Mocó si mocó du

Foi concluída neste fim de semana mais uma via na Serra do Estrago em Brejo da Madre de Deus!
A via se chama "Mocó si mocódu", possui 170m e a graduação sugerida é 4° VIIc E3 D1.
A via segue uma linha bem interessante: A primeira enfiada começa em um lindo diedrinho, depois é protegida por três grampos no lance que é o crux bem definido da via, passando por um tetinho e chegando na parada. A segunda enfiada segue por uma fendinha cega com algumas opções de proteção móvel e alguns grampos em lances bem legais. As próximas enfiadas é "toca-toca", positivão com boas até o cume!
Pra chegar até ela basta seguir a trilha da Serra do Estrago rumo às vias da esquerda, após a Face Oculta continuar até o final da pedra, onde encontra-se a via "Em busca de um sonho", uma rampa com lances de II grau que não possui grampos. Existe uma variante pouco antes do início da "Em busca de um sonho" que pode ser escalada pra evitar o matagal da via otiginal, são cerca de 20m com um Vsup no início protegido por um grampo e depois mais um grampo pra parada/rapel, depois continua pela rampa normalmente. A Mocó começa mais ou menos na metade da rampa, a esquerda.
Segue o croqui, dessa vez não teve foto...
Quem entender o nome da via primeiro ganha uma foto na capa do blog.
 Clique a foto para ampliá-la

No dia seguinte entre uma escalada e outra nas "Mil Falésias" acabamos conquistando a via da foto abaixo:

 Otto na Jardim do Inferno (IVsup E2)

Curtinha mas bem legal, pra proteger usamos os camalots #5, #2 e #.5, a descida é pela "Sai do Chão" no mesmo bloco (estavamos sem artefatos pra bater o grampo do rapel...). O nome é devido às duas últimas agarras da via: um cactus e uma urtiga.